O início do julgamento está marcado para segunda-feira, às 09:30, no Tribunal de Évora, disse hoje à agência Lusa fonte judicial.

O Ministério Público (MP) deduziu acusação contra Pedro Dias em novembro do ano passado, imputando-lhe a autoria de um crime de furto qualificado, na zona de Évora.

Segundo um comunicado do MP, divulgado na altura, o furto ocorreu na noite de 08 para 09 de março de 2012, na Herdade do Zambujal do Conde, situada na freguesia de Torre de Coelheiros, concelho de Évora.

O mesmo comunicado salientava que tinha sido possível esclarecer os factos "na sequência dos homicídios ocorridos em outubro de 2016 no centro do país".

Fontes judiciais, contactadas na altura pela Lusa, indicaram que Pedro Dias tinha na sua posse uma arma que tinha sido furtada em Évora e que uma das testemunhas identificou o arguido como frequentador da herdade.

Além de armas, foram também furtadas da herdade obras de arte e artigos de arte equestre, num valor total calculado de cerca de 300 mil euros, referiram as fontes.

Pedro Dias foi condenado, em março deste ano, pelo Tribunal da Guarda à pena máxima de 25 anos de prisão, em cúmulo jurídico, por vários crimes cometidos em Aguiar da Beira, entre os quais três homicídios consumados.

A advogada de defesa, Mónica Quintela, informou que foi interposto recurso do acórdão proferido pelo Tribunal da Guarda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.