"O plano de contingência definido pelo Santuário de Fátima tem uma lotação máxima no recinto de oração de 15 mil peregrinos", disse ao SAPO24 fonte do Santuário de Fátima. 

Segundo o Santuário, as regras de segurança em tempo de pandemia mantêm-se, pelo que deve ser observado o distanciamento físico entre peregrinos que não pertençam ao mesmo agregado familiar, o uso da máscara é obrigatório e as mãos devem ser higienizadas frequentemente. Tal como nas anteriores peregrinações aniversárias, as entradas e saídas do recinto estão assinaladas e os círculos marcados no chão continuam a existir.

Ao contrário do que aconteceu em maio, em que a zona da Capelinha das Aparições e do tocheiro estavam interditas, em agosto as vaias da Capelinha "têm uma área mais pequena, pelo que as pessoas vão estar mais próximas" do local. Quanto ao tocheiro, este "vai estar a funcionar durante as celebrações, com acolhedores", havendo "um corredor específico para quem estiver de fora [sem participar na celebração] e queira ir por velas". De relembrar, todavia, que as pessoas nos círculos não se podem deslocar no decorrer das celebrações.  

 Quanto ao acolhimento dos peregrinos, vão estar envolvidos, "além dos funcionários, voluntários do Santuário e Servitas, os Escuteiros e o Projeto SETE, que promove o voluntariado jovem no Santuário". 

A peregrinação aniversária de agosto, que assinala a quarta aparição de Nossa Senhora aos três videntes, a única fora da Cova da Iria, nos Valinhos, também conhecida como a "Peregrinação dos Emigrantes", é presidida pelo arcebispo do Luxemburgo, o cardeal Jean-Claude Hollerich, que dirige atualmente a Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia (Comece).

Nesta peregrinação — a que acorrem habitualmente milhares de emigrantes de férias em Portugal — existe um ritual que este ano completará o seu 81.º aniversário: a entrega de trigo a Nossa Senhora, no momento do ofertório da missa do dia 13 de agosto, uma prática iniciada pelos paroquianos de Leiria, da Acção Católica.

Quanto aos grupos de peregrinos inscritos, até ao momento há registo de quatro: dois de Espanha, um da Polónia e outro da Alemanha.

A peregrinação de agosto inicia-se no dia 12 com a recitação do Rosário, às 21h30, seguida da Procissão das Velas e, por fim, a celebração da Palavra no altar do recinto.

No dia 13, às 9h00, haverá de novo a oração do Rosário e às 10h00 a Missa, com a tradicional Palavra ao Doente que será proferida pela diretora da Obra Católica das Migrações, Eugénia Quaresma. Como habitualmente, a peregrinação termina com a Procissão do Adeus.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.