Em comunicado, a PJ refere que o denominado “Brasão de Armas dos Condes de Avilez” foi localizado na cidade do Porto.

Segundo a mesma fonte, este brasão tinha sido furtado na década de 90 da fachada da capela da Tapada dos Condes de Avilez, em Santiago do Cacém, no distrito de Setúbal, sendo propriedade desta autarquia.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, explicou que, há cerca de uma semana, o município apresentou queixa junto da Polícia Judiciária, depois de ter recebido uma denúncia a alertar para uma alegada venda da peça numa leiloeira.

“Na semana passada, uma pessoa alertou-nos que uma leiloeira estaria a vender uma peça que aparentava ser [o brasão] roubado há uns anos em Santiago do Cacém”, revelou.

Depois de “alguns técnicos do município, ligados ao património, terem corroborado que se tratava da mesma peça, a câmara decidiu apresentar queixa na Polícia Judiciária, que, em poucos dias, a recuperou”, indicou.

“Os técnicos da câmara vão agora identificar a peça, mas tudo indica que se trata do brasão que desapareceu da fachada da capela da Tapada” do Castelo de Santiago do Cacém, que volta agora para a posse da autarquia, concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.