“O Seminário Diplomático de 2022 esteve previsto para a primeira semana de janeiro, em formato presencial, assim se retomando a prática habitual. Contudo, a evolução da pandemia de covid-19 e as medidas de contenção já decididas pelo Governo aconselharam o seu adiamento”, lê-se numa resposta por escrito enviada à agência Lusa.

Na comunicação, o ministério chefiado por Augusto Santos Silva acrescenta que a “nova data será comunicada oportunamente”.

O seminário diplomático realiza-se anualmente, no princípio de janeiro, e reúne em Lisboa os embaixadores de Portugal para debaterem as prioridades da política externa portuguesa com membros do Governo, empresários e académicos.

O seminário é também ocasião para a entrega do prémio diplomata económico do ano, atribuído anualmente pela Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP) desde 2013.

O prémio distingue o chefe de missão diplomática que, ao longo do ano, se tenha destacado na defesa e apoio à internacionalização de empresas portuguesas e na captação do investimento estrangeiro, contribuindo para o crescimento da economia portuguesa.

O primeiro-ministro, António Costa, vai anunciar novas medidas de combate e prevenção da covid-19 na terça-feira, no final de um Conselho de Ministros extraordinário.

A reunião do Conselho de Ministros, a última antes do Natal, estava prevista para quinta-feira, como é habitual, mas foi antecipada por o Governo ter recebido propostas de medidas dos especialistas que têm apoiado o executivo.

"Como são medidas com impacto na vida das pessoas, convém que sejam tomadas com antecedência, tendo em vista tornar possível uma melhor preparação e adaptação”, disse fonte do executivo à agência Lusa.

Em Portugal, a incidência de infeções com o vírus que provoca a covid-19 voltou a aumentar a nível nacional, passando para os 558,5 casos por 100 mil habitantes, enquanto o índice de transmissibilidade (Rt) estabilizou nos 1,07, de acordo com dados de hoje da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A covid-19 provocou mais de 5,3 milhões de mortos no mundo, incluindo 18.796 em Portugal, segundo dados oficiais.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado na China no final de 2019.

Desde então, surgiram diversas variantes do vírus, a última das quais, denominada Ómicron, é considerada de grande transmissibilidade e obrigou vários países a retomarem medidas de prevenção, incluindo restrições nas viagens aéreas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.