Em comunicado de imprensa é referido que a investigação do SEF apurou a existência de várias “empresas fantasma” que serviam de fachada para simulação de relações laborais com cidadãos oriundos do sudeste asiático e da América do sul.

Até ao momento foram cumpridos "quatro mandados de busca, um domiciliário, outro num escritório e dois em viaturas, tendo sido apreendida diversa prova documental, uma arma branca, munições e uma quantia assinalável de dinheiro". O arguido está sujeito a termo de identidade e residência.

A “Operação Combustível”, desencadeada no início desta semana, teve origem num processo crime cuja investigação teve por base pedidos de vistos consulares na embaixada de Portugal em Nova Deli que se revelaram suspeitos.

A investigação deste caso, iniciada pelo SEF em 2018, prossegue sob coordenação do Ministério Público de Albufeira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.