"Havia uma importância e um respeito muito grandes pelos artistas que lá trabalham", afirmou o artista e fotógrafo, que trabalhou na Pixar sob Steve Jobs durante sete anos. "Até hoje foi um dos melhores sítios onde já trabalhei em termos de colaboração artística".

Steve Jobs, mais conhecido por ter sido cofundador e presidente executivo da Apple, comprou a divisão de computação gráfica da LucasFilm em 1986 e mudou o seu nome para Pixar Animation Studios. A empresa, cofundada com Ed Catmull e John Lasseter, seria a primeira a lançar uma longa-metragem de animação, "Toy Story: Os Rivais", totalmente feita em computador.

"O Steve Jobs aparecia quase todas as semanas e tinha um respeito enorme pelo que nós estávamos a fazer na Pixar, sabia que a nossa experiência era muito mais produtiva que a dele, que vinha da área de tecnologia e design", disse Afonso Salcedo.

"Ele sempre teve uma paixão enorme e uma crença de que estávamos a fazer uma coisa nunca antes feita", continuou. "Sempre nos deu espaço para criarmos ideias e seguirmos em frente com projetos que nunca tinham sido feitos".

Afonso Salcedo, que nasceu em São Francisco e cresceu no Porto, entrou na Pixar aos 24 anos para trabalhar na fotografia dos filmes, como artista de iluminação.

"É muito equivalente ao que se faz em realização, estamos a fazer a iluminação toda de um filme de animação, a transmitir a ideia das emoções do filme através de luz, cor e sombras e a fazer a fotografia do filme que se vê no ecrã", explicou. "O meu departamento era o responsável por criar as imagens que eventualmente apareciam no cinema, porque éramos as últimas pessoas a tocarem no filme".

Na Pixar, trabalhou em filmes como "Cars", "Ratatouille", "Wall-E", "Up - Altamente!" e "Toy Story 3", entre outros.

"Lembro-me de o ‘Toy Story' sair nos anos noventa e de estar em Portugal e achar que era um sonho impossível, e acabei por trabalhar lá eventualmente", recorda o artista. "Cresci no Porto e tinha aquele fascínio pela ideia dos Estados Unidos, do Steve Jobs e da Pixar e acabei por realizar isso tudo quando tinha 24 anos".

Para assinalar os 25 anos do seu primeiro filme, "Toy Story: Os Rivais", em 1995, a empresa lançou o Pixar Fest, com celebrações virtuais e especiais de programação durante agosto e setembro. Em Portugal, os filmes e conteúdos Pixar vão estar disponíveis a partir de 15 de setembro, dia em que o serviço de ‘streaming’ Disney+ chega ao país.

Para Afonso Salcedo, a Pixar deixou uma marca na animação pela qualidade do seu trabalho: "A prioridade era sempre criar histórias que fossem universais e que tocassem não só em elementos próprios para crianças mas também uma profundidade de temas que tocassem famílias inteiras".

"Todos os que trabalham na Pixar têm uma ligação muito forte com a criança que está dentro de si e têm aquela curiosidade que quando uma pessoa cresce começa a desaparecer", considerou. "Na Pixar, és obrigado a ligar-te outra vez a essa curiosidade de criança e isso dá às histórias uma profundidade que é rara".

Além disso, sublinhou, "eles têm uma abordagem tecnológica e criativa que é bastante única na indústria".

Nos anos em que esteve na Pixar, entre janeiro de 2005 e dezembro de 2011, Afonso Salcedo ficou a conhecer Steve Jobs. Um dia, de manhã, "ele viu-me a aproximar e decidiu, em vez de entrar, ficar com a porta aberta à espera que eu chegasse", contou Salcedo.

O CEO perguntou-lhe o nome e nunca mais se esqueceu dele: "Sempre que me via perguntava em que é que eu estava a trabalhar, se havia coisas na empresa que eu achava que deviam mudar. Estava sempre curioso por saber como as coisas corriam".

Segundo o artista, Jobs era "muito intenso" nas reuniões e nas opiniões que defendia, tendo como prioridade motivar as pessoas para fazerem o melhor trabalho das suas vidas. "Desafiar-nos a ultrapassar os nossos próprios limites", disse. "Ele tinha imenso jeito para isso".

Salcedo saiu da Pixar dois meses após a morte de Steve Jobs e desde então passou pela DreamWorks Animation, Walt Disney Animation Studios, Sutro Studios e Method Studios.

"Toy Story: Os Rivais" saiu em 1995 e venceu vários prémios, tendo-se tornado num filme icónico com continuação em 1999 ("Toy Story 2 - Em Busca de Woody"), 2010 ("Toy Story 3") e 2019 ("Toy Story 4").

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.