Pela primeira vez, a governante expressou a "intenção de conduzir um diálogo direto com o Governo japonês sobre questões de segurança cibernética e segurança regional", noticiou hoje o jornal local Taipei Times.

Tsai Ing-wen falava em entrevista ao diário japonês Sankei News, tendo reforçando depois os planos na sua conta oficial do twitter.

"Estou determinada a trabalhar com parceiros como o Japão na defesa dos valores partilhados. Enfrentamos uma avalanche de desinformação e notícias falsas com o objetivo de minar a democracia", disse Tsai.

A Presidente avisou ainda o resto do mundo que nenhum país está isento de tais ataques.

"Hoje Taiwan está no centro das atenções. Amanhã será outro país", disse, numa alusão à China, que já acusou, noutras ocasiões, de intimidação militar.

Tsai também procurou convencer a comunidade internacional a apoiar Taiwan face à pressão chinesa, apelando aos valores comuns da democracia e da liberdade.

"Taiwan é a prova de que o desenvolvimento democrático e económico andam de mãos dadas. A nossa 'ilha da resistência' é uma força para o bem do mundo e não há dúvida de que Taiwan pode ajudar a promover e salvaguardar a liberdade e a democracia", defendeu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.