“Um total de 236 pastores asseguram diariamente a continuidade da Ovelha Bordaleira da Serra da Estrela, a principal raça ovina leiteira de Portugal e também a primeira a ter livro genealógico. Em sua homenagem, vai nascer no ponto mais alto de Portugal Continental - a Torre da Serra da Estrela - um novo espaço dedicado aos pastores e ao produto do seu trabalho: a lã e o leite das ovelhas Bordaleiras”, anunciou hoje o Turismo do Centro em comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a fonte, na abertura do espaço, no domingo, “vão estar presentes 160 pastores” da região.

“A sustentabilidade da atividade pastorícia e a economia circular são os motes deste projeto, uma vez que aproveita todos os produtos provenientes das ovelhas”.

No novo espaço serão colocadas à venda almofadas feitas de 100% de lã Bordaleira, aproveitando a lã das ovelhas, “que não tinha escoamento por falta de valor económico”, Queijo Serra da Estrela DOP (Denominação de Origem Protegida), produzido pelas 28 queijarias certificadas, e o pastel de bacalhau com Queijo Serra da Estrela DOP, uma “forma encontrada para o escoamento do queijo”.

Toda a lã de 2021 foi comprada para este projeto e "a totalidade da lã adquirida foi utilizada para produzir as almofadas agora à venda no novo espaço, que constituem assim um produto sustentável, verdadeiro cartão de visita da Serra da Estrela e expoente máximo da economia circular e da sustentabilidade”.

As almofadas foram produzidas em tear com a lã resultante da tosquia das ovelhas em 2021 e cada uma “é irrepetível e especial”.

“O enchimento interior é em pura lã, a fronha interior tem o número de série correspondente a uma ovelha e a capa exterior presta uma homenagem à ovelha numa das faces”, lê-se.

A produção das almofadas contou com a colaboração de ‘designers’ de moda.

“Recuando 100 anos no tempo, cada almofada indica um ano desde 1922, para que as pessoas possam levar o ano com que mais se identificam, tornando a almofada personalizada e ainda mais especial”, é também sublinhado.

O Turismo do Centro explicou que o projeto “constitui uma forma de apoiar o trabalho dos pastores da Serra da Estrela e de assegurar a continuidade da profissão e da raça da ovelha Bordaleira, contribuindo para o desenvolvimento da economia local e para a sustentabilidade social do território”.

“De 275.000 ovelhas desta raça existentes nos anos 80 do século XX, há atualmente pouco mais de 23.000. A diminuição deste número é uma consequência do abandono progressivo da profissão de pastor, pela falta de apoios e pela subvalorização do potencial produtivo desta raça exclusiva da Serra da Estrela, pelo que garantir a sua existência se torna uma necessidade ainda mais urgente”.

O novo espaço comercial que vai ser inaugurado na Torre é uma iniciativa do grupo ‘O Valor do Tempo’, grupo económico com origem em Seia, no distrito da Guarda, e conta com a colaboração e apoio da ANCOSE - Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela, da ESTRELACOOP - Cooperativa de Produtores de Queijo Serra da Estrela, e da AASE – Associação de Artesãos da Serra da Estrela.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.