“O número de refugiados da Ucrânia – tragicamente – chegou hoje aos 2,5 milhões”, afirmou o Alto Comissário da ONU para os Refugiados, Filippo Grandi, numa mensagem publicada na rede social Twitter.

De acordo com a ONU, destes 2,5 milhões de refugiados da Ucrânia que fugiram para países vizinhos, 116 mil são cidadãos de países terceiros.

Na quinta-feira, o balanço da ONU dava conta de um total de 2,3 milhões de refugiados.

Além dos que deixaram o país, a ONU “estima que haja já cerca de dois milhões de pessoas deslocadas internamente na Ucrânia”, acrescentou Filippo Grandi na mesma mensagem no Twitter, lamentando que “milhões [de pessoas] tenham sido forçadas a deixar as suas casas por causa de uma guerra sem sentido”.

Também o porta-voz da Organização Internacional para as Migrações (OIM), Paul Dillon, avançou que o número de refugiados já atinge os 2,5 milhões, explicando que o valor tem como base informações dadas pelos Governos nacionais e foi atualizado hoje de manhã.

Segundo a mesma fonte, a maior parte dos refugiados (1,5 milhões) fugiu para a vizinha Polónia.

Trata-se do êxodo mais rápido na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

A guerra na Ucrânia, que entrou hoje no 16.º dia, provocou um número ainda por determinar de mortos e feridos, que poderá ser da ordem dos milhares, segundo várias fontes.

Embora admitindo que “os números reais são consideravelmente mais elevados”, a ONU confirmou, na quinta-feira, a morte de pelo menos 549 civis e 957 feridos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.