As cerca de cem pessoas que hoje se manifestaram junto ao Conselho Superior de Magistratura dispersaram pouco depois das 17:00, quando o juiz saiu do local.

Os manifestantes concentraram-se ao início da tarde junto do Conselho Superior de Magistratura, onde o juiz Rui Fonseca e Castro ia ser ouvido pelo instrutor do seu processo disciplinar. O juiz está suspenso preventivamente por incentivar publicamente ao incumprimento das regras para controlar a evolução da pandemia de covid-19.

Rui Fonseca e Castro foi recebido à chegada com palmas e abraços e com a frase repetida durante vários minutos “Viva o Rui”.

Os manifestantes mantiveram-se no local até cerca das 17:00, quando o juiz saiu do Tribunal. Durante a manifestação de apoio foram detidas dez pessoas pela PSP.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, em comunicado, explica que no "início da manifestação foi notório o incumprimento deliberado e generalizado das normas sanitárias por parte dos participantes, em particular, a falta de máscara e o distanciamento físico".

Contudo, e "apesar da insistente sensibilização", os manifestantes continuaram, "de forma reiterada", sem utilizar máscaras ou a cumprir o distanciamento necessário.

"A Polícia de Segurança Pública teve necessidade de advertir os manifestantes, através de sistema sonoro, para a obrigatoriedade do uso de máscara e cumprimento do distanciamento físico, sob pena de incorrerem em crime de desobediência previsto no Código Penal Português", explica a PSP.

"Os manifestantes mantiveram-se nos arredores do Tribunal e voltaram a juntar-se quando o juiz saiu e quando estava no local um grande aparato policial, com mais de uma dúzia de viaturas da PSP, metade delas carrinhas da unidade especial de polícia", esclarece ainda a nota.

O comunicado da PSP frisa também que os seus agentes da autoridade impediram que o "jornalista da Lusa presente no local fosse agredido" pelos manifestantes.

De acordo com o jornalista da agência Lusa, os manifestantes trocaram cumprimentos, abraços e beijos, quando estavam sem máscara. A Lusa apenas viu uma mulher, enrolada numa bandeira de Portugal, com uma máscara, mas nos olhos.

A manifestação de apoio ao juiz foi convocada pela associação Habeas Corpus, fundada pelo próprio Rui Fonseca e Castro.

(Notícia atualizada às 20:14. Acrescenta informação revelada em Comunicado de Imprensa do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.