Com as duas novas marcas, o grupo PSA representa uma quota de mercado de 17% na Europa no primeiro semestre, reforça a sua presença nos principais mercados europeus e impulsiona o seu crescimento a nível internacional, segundo um comunicado.

Em março, foi anunciado que esta operação ascenderia a um total de 2.200 milhões de euros.
O grupo acrescentou que a Opel e a Vauxhall serão geridas "como verdadeiras marcas emblemáticas alemã e britânica" e que nos próximos 100 dias está prevista a apresentação de um novo plano de atuação, com o objetivo de alcançar uma margem operacional de 2% em 2020 e de 6% em 2026.

"Começamos hoje uma nova fase no desenvolvimento do grupo PSA. Este projeto converteu-se em realidade em poucos meses graças ao trabalho notável das equipas. Saberemos aproveitar a oportunidade de nos reforçarmos mutuamente e de conquistar novos mercados", referiu o presidente da PSA, Carlos Tavares.

Num outro comunicado, a General Motors (GM) indicou que esta operação "representa uma vitória para todas as partes interessadas e é a última e mais importante de uma série de ações" que está a tomar para "fortalecer a sua organização e posição global no futuro".

A GM afirmou ainda que a venda das operações europeias da GM Financial, o braço financeiro da companhia, ao grupo PSA e BNP Paribas estará terminada em finais do ano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.