A viagem, a Jerusalém e ao Cairo, tem sido motivo de controvérsia e surge numa altura de tensão na região, depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter reconhecido Jerusalém como capital de Israel, indo contra o consenso internacional de que a decisão sobre Jerusalém devia ser tomada entre israelitas e palestinianos, que também reivindicam a cidade como sua capital.

A viagem foi adiada para meados de janeiro, para permitir que Mike Pence esteja presente numa votação considerada decisiva no Senado sobre reforma tributária, disse a fonte.

Os republicanos têm uma pequena maioria no senado, 52 de 100 assentos, mas em caso de empate o vice-Presidente pode ter um papel importante.

A votação deve acontecer na noite de terça-feira ou na quarta-feira de manhã.

Segundo fonte da Casa Branca, o adiamento não tem relação com a violência e fortes tensões diplomáticas decorrentes da decisão controversa de Trump declarar Jerusalém como capital de Israel.

O Presidente palestino, Mahmoud Abbas, cancelou a reunião que tinha marcada com Pence, afirmando que os Estados Unidos já não têm um papel a desempenhar no processo de paz entre israelitas e palestinianos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.