O caso mais grave aconteceu hoje, em Sabrosa, onde três pessoas – um casal com 74 e 80 anos e uma filha de 56 anos – morreram depois de um incêndio ter atingido a habitação onde viviam. Dois jovens de 16 e 20 anos conseguiram sair da casa ilesos.

O comandante dos Bombeiros de Sabrosa, José Barros, referiu que as suspeitas sobre a origem deste incêndio recaem sobre um “qualquer sistema de aquecimento” e que o incêndio vai ser investigado pela Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real.

A 11 de novembro, uma nonagenária perdeu a vida também na sequência de um incêndio numa habitação na aldeia de São Cibrão, concelho de Vila Real.

Quanto chegaram ao local, os bombeiros da Cruz Verde encontraram a casa tomada pelas chamas e a vítima carbonizada.

Nesta ocorrência, uma outra mulher, com 50 anos, ficou com ferimentos ligeiros quando tentou ajudar a idosa.

A 23 de novembro, as chamas destruíram o primeiro andar de uma moradia na aldeia de Outeiro, no concelho de Montalegre. Um casal conseguiu sair da habitação sem ferimentos.

Segundo o CODIS Miguel Fonseca, a maior parte das 18 ocorrências registadas no distrito diz respeito a situações relacionadas com chaminés, lareiras e braseiras.

“Todos os cuidados são poucos quando estamos a falar de dispositivos de combustão, principalmente aqueles que têm pouca proteção, como é o caso das lareiras e das braseiras”, referiu.

O comandante alertou para um aspeto que costuma “ser minimizado” e que diz respeito à falta de manutenção em chaminés, ou seja falta de limpeza periódica e um acumular de materiais que, depois, podem causar ocorrências.

Miguel Fonseca recordou alguns conselhos de segurança para evitar este tipo de ocorrências como garantir que, durante a noite e não há supervisão, as lareiras e braseiras ficam apagadas, evitar contacto com tecidos, tapetes, fibras e desligar outros equipamentos de aquecimento.

“Muito cuidado neste período natalício com a questão das ligações elétricas para as iluminações de Natal. Ter algum cuidado também quando há animais em casa”, alertou ainda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.