No Japão, saber que vizinhos vai ter é possível através de um polémico mapa, o Dorozoku. De acordo com o The Guardian, a identificação por círculos de cor possibilita esta identificação.

Além disso, são ainda disponibilizadas algumas informações mais concretas. Por exemplo, é possível ler que, à noite, se ouvem "os gritos dos filhos, os gritos dos pais e passos ruidosos" ou que "pais e filhos jogam à bola na rua". Ao todo, existem informações sobre quase 6.000 pontos em todo o Japão, publicadas por moradores irritados.

Todavia, o responsável pelo site, um homem de 40 anos que pediu para não ser identificado, está debaixo de fogo, acusado de fomentar a intolerância num país que precisa de muitos mais jovens para sobreviver nas próximas décadas, devido à baixa taxa de natalidade.

Apesar das críticas, também há quem veja no mapa aspetos positivos: alguns pais de crianças pequenas referiram que o site, que também identifica locais mais tolerantes, os ajudou a escolher onde morar.

A pandemia aguçou as críticas ao barulho por parte dos vizinhos. Numa altura em que mais pessoas estão em casa devido ao confinamento, o stress causado pelo vírus pode estar a transformar pessoas — que de outra forma seriam tolerantes — em mais mesquinhas quando se trata de proteger a sua paz e tranquilidade, de acordo com Norihisa Hashimoto, professora emérita de engenharia acústica de ambiente no Instituto de Tecnologia de Hachinohe, no nordeste do Japão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.