Antes de derrotar Venus Williams, 13.ª cabeça de série, na final, por 6-4, 6-4, em uma hora e 21 minutos, Serena, que recuperou o ‘seu’ número um mundial, não cedeu qualquer ‘set’ ao longo dos outros seis encontros disputados em Melbourne, mostrando ter voltado à melhor forma, após alguns problemas físicos.

O sétimo triunfo no Open da Austrália permitiu a Serena tornar-se recordista de triunfos em provas do ‘Grand Slam’ na Era Open, com 23, mais um do que a alemã Steffi Graf e a um do recorde total da australiana Margaret Court, que esteve nas bancadas a ver a final.

O encontro decisivo foi uma amostra do que Serena, que chegou a Melbourne como número dois mundial, fez ao longo do torneio, com o seu ténis agressivo, a que Venus não conseguiu responder da melhor maneira, embora a estatísticas provem que a final acabou por ter algum equilíbrio.

Serena Williams, de 35 anos, ‘disparou’ 10 ases, mais três do que Venus, conseguiu mais seis ‘winners’ (27-21) e cometeu menos dois erros não forçados (23-25), mas apenas ganhou mais 10 pontos ao longo do encontro.

Depois de um início muito nervoso, com quatro quebras de serviço nos primeiros quatro jogos do primeiro ‘set’, mas Serena acabaria por fazer o ‘break’ decisivo ao sétimo jogo da primeira partida (4-3), segurando o seu saque até ao final do parcial.

No segundo ‘set’, a mais nova das irmãs Williams, que nunca perdeu uma final de um ‘major’ depois de vencer a primeira partida, voltou a quebrar o serviço de Venus no sétimo jogo, momento que acabou por ser decisivo no desfecho do encontro.

Uma das maiores rivalidades da história do ténis teve, assim, mais um capítulo, com Serena a voltar a mostrar-se, mais uma vez, mais forte, somando o 18.º triunfo em 29 encontros. Em torneios do ‘Grand Slam’, Venus apenas conseguiu vencer uma das oito finais contra a irmã, em Wimbledon, em 2008.

Serena agradece a Venus Williams, a sua inspiração

“Gostava de aproveitar este momento para felicitar Venus, ela é uma pessoa fantástica. Nunca teria chegado aos 23 sem ela. Não conseguiria ter um sem ela”, disse Serena.

Já com o troféu nas mãos, Serena, de 35 anos, pediu um aplauso para o regresso – embora não goste da palavra – da irmã, que, após vários problemas físicos e de saúde, conseguiu regressar a uma final de um ‘Grand Slam’, quase oito anos depois de terem disputado o título em Wimbledon.

“Ela é a minha inspiração, ela é a única razão porque estou aqui hoje e a única razão para existirem as irmãs Williams”, afirmou.

Um ano mais velha do que Serena, Venus também deixou elogios à irmã.

“Serena Williams... Eis a minha irmã mais nova... Parabéns Serena pelo 23.º [título]”, disse uma emocionada Venus, durante a cerimónia.

Venus lembrou que esteve ao lado da irmã, mesmo que, como aconteceu hoje, tenha perdido muitas vezes para Serena.

“Mas tem sido uma coisa fantástica, as tuas vitórias têm sido sempre as minhas vitórias, acho que sabes disso. Naquelas vezes que u não consegui lá estar, que não cheguei lá, tu estavas lá. Estou muitíssimo orgulhosa de ti”, assegurou.

(Notícia atualizada com mais informação às 16h11)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.