Na apresentação que acompanha a divulgação dos resultados do banco detido pelo espanhol CaixaBank, pode ler-se que, em setembro de 2019, o BPI contava com 4.869 trabalhadores, ao passo que em setembro do ano passado contava com 4.898 pessoas ao seu serviço.

Assim, há uma variação negativa de 29 trabalhadores entre os dois períodos, sendo que desde dezembro de 2018 até setembro deste ano a variação é de 19 trabalhadores, já que entre setembro e dezembro do ano passado o banco perdeu 10 funcionários.

Em termos de balcões, a rede do BPI sofreu uma diminuição de 14 em setembro deste ano face a setembro de 2018, já que no final do terceiro trimestre de 2019 contava com 407 balcões, sendo esse número de 421 em setembro de 2018 (tal como em dezembro).

No entanto, o banco refere que em setembro deste ano tinha “em Portugal 31 centros ‘premier’, um balcão móvel e 34 centros de empresas, o que perfaz um total de 479 unidades comerciais”.

O BPI registou lucros de 253,6 milhões de euros nos primeiros nove meses deste ano, uma diminuição de 52% face aos 529,1 milhões de euros alcançados no mesmo período de 2018, foi hoje divulgado.

“Face ao período homólogo de 2018, a evolução do resultado consolidado (-52%) é muito influenciada por impactos positivos extraordinários registados em setembro de 2018 (+160 milhões de euros, essencialmente ganhos com a venda de participações) na atividade em Portugal e que não se repetiram em 2019″, de acordo com o comunicado divulgado hoje pelo banco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.