Segundo os dados do BdP, este financiamento foi obtido junto de bancos residentes (12,4 mil milhões de euros).

Em contrapartida, refere, o financiamento concedido às administrações públicas pelo exterior foi de -0,9 mil milhões de euros e pelos outros setores da economia, sobretudo setor financeiro exceto bancos, de -2,5 mil milhões de euros.

“Um financiamento líquido negativo indica que as administrações públicas, em termos líquidos, adquiriram mais ativos financeiros do que emitiram passivos, ou seja, as administrações públicas utilizaram parte dos fundos obtidos para financiarem outros setores da economia”, explica o BdP.

Uma análise por instrumento demonstra, por sua vez, que as administrações públicas se financiaram através da emissão de títulos, no montante de 2,0 mil milhões de euros, e do aumento de empréstimos deduzidos de depósitos, no montante de 6,9 mil milhões de euros, acrescenta.

O BdP publica os dados sobre o financiamento das administrações públicas até agosto no próximo dia 21 de outubro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.