Maria Luís Albuquerque reagia, em entrevista hoje ao programa A Vida do Dinheiro, da TSF e do Dinheiro Vivo, às declarações do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, de que os resultados orçamentais do Governo são sustentáveis.

“O Presidente da República não é uma entidade independente e técnica. Eu não citaria o Presidente da República neste contexto. Não o é porque não é suposto ser. Note-se, eu estava a falar da UTAO [Unidade Técnica de Apoio Orçamental], no Conselho de Finanças Públicas, nas próprias agência de rating e na Comissão Europeia ou do Fundo Monetário Internacional”, disse.

No entender da ex-ministra das Finanças, “são as entidades independentes do Governo e da maioria e que analisam. Têm uma perspetiva e uma visão sobre aquilo que são os resultados orçamentais e não só”.

A entrevista da vice-presidente do PSD vai ser divulgada na íntegra no sábado na rádio TSF e no Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Nos últimos dias, Marcelo Rebelo de Sousa tem-se referido à situação económica e financeira do país.

Nas comemorações do 25 de Abril, Marcelo disse que, nos últimos anos, Portugal teve "vitórias" nas finanças públicas e na economia, defendendo, no entanto, que é um imperativo criar mais riqueza e distribuí-la melhor no tempo restante desta legislatura.

Na terça-feira, o chefe de Estado afirmou que a descida da taxa de desemprego, divulgada pelo Eurostat, “significa que parece confirmar-se o crescimento económico” e a criação de emprego em Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.