De acordo com os dados compilados pela CES, entre 2010 e 2019 os pacotes salariais ajustados à inflação (e incluindo contribuições para a Segurança Social e pagamentos de subsídios) desceram em média em seis Estados-membros, e em três outros países os salários permaneceram basicamente congelados na última década.

Segundo a CES, em comparação com 2010 os pacotes salariais em 2019 eram 15% mais baixos na Grécia, 7% em Chipre, 5% na Croácia, 4% em Portugal e Espanha e 2% em Itália.

“Os trabalhadores em seis países da UE estão em piores condições do que há 10 anos. Os líderes da UE [União Europeia] gostam de falar na alegada retoma, mas a crise não acabou para milhões de trabalhadores em muitos Estados-membros”, comentou a secretária-geral adjunta da CES, Esther Lunch, que exorta assim a UE a “fazer muito mais para promover o aumento nos salários e nos salários mínimos” praticados na União.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.