A média de migrantes e refugiados venezuelanos noutros países diminuiu em dezembro em relação aos meses anteriores, mas voltou a aumentar, precisaram porta-vozes daquele organismo da ONU.

A grande maioria dos cidadãos venezuelanos vai para a Colômbia, onde se regista o maior número de entradas (incluindo os que dali prosseguem para o Peru, o Equador e outros países), com apenas algumas centenas de migrantes diários na fronteira entre a Venezuela e o Brasil, referiu o ACNUR.

O Alto-Comissariado adverte que o número de migrantes registados poderá não refletir o total real, já que muitos venezuelanos passam as fronteiras de forma irregular e não há números oficiais de saídas por parte da Venezuela.

O ACNUR e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) informaram em 2018 que os países da América Latina e as Caraíbas acolheram 2,4 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos, ao passo que outros 600.000 se distribuem por outras regiões.

Algumas projeções de organismos internacionais indicam que em 2019 mais dois milhões de venezuelanos poderão abandonar o seu país devido à crise económica, política e social.

ANC // EL

Lusa/fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.