O anúncio de que Moçambique não vai pagar a prestação de janeiro relativa à emissão de 726,5 milhões de dólares em títulos de dívida "pode pôr as negociações sobre a reestruturação da dívida numa posição mais fracionada entre os dois lados, com os credores a sentirem-se acossados", comentou o economista-chefe Exotix Partners, Stuart Culverhouse.

Na segunda-feira, o Governo moçambicano emitiu um comunicado no qual anunciava oficialmente que não ia pagar a prestação de janeiro, e que para todo este ano de 2017 a capacidade para fazer pagamentos era "extremamente limitada".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.