Um aparelho que faz a gestão do lixo e outro que mede o oxigénio em aquacultura, um sensor que serve para procurar e reservar lugares de estacionamento e outro que monitoriza a presença humana, temperatura e luminosidade em edifícios inteligentes.

As quatro soluções apresentadas, foram respetivamente, as quatro vencedoras da 3ª edição do IoT Challenge – Developing The Future, um desafio colocado pela PT Empresas (marca da Altice Portugal vocacionada para o segmento empresarial) a 11 startups e empresas que apresentaram diversos projetos integrando a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) ao serviço das Smart Cities (cidades inteligentes), mobilidade e Indústria 4.0.

“Gerir o lixo urbano” é o propósito da Compta Emerging Business, empresa que criou “um sensor a ser utilizado nos caixotes de recolha de resíduos urbanos” doméstico e da restauração e que controla “os níveis de lixo nos caixotes”, descreve Paulo Fernandes, responsável máximo deste projeto destinado às Smart Cities, durante a entrega de prémios que decorreu esta quinta-feira, 20, no Showroom Altice, Fórum Picoas, em Lisboa.

Dentro da Indústria 4.0, a Domatica global solutions, com o projeto Factory Connectivity destinado “à aquacultura” tem como objetivo “monitorizar o oxigénio, PH ou temperatura” na água, referiu Pedro Pina, sublinhando que a solução encontrada “é destinada a zonas onde não há eletricidade e por isso usamos autonomia de longa duração”.

Na categoria de Mobilidade, a Imapark recebeu os votos do júri que integrou um membro da PT Empresas, COTEC, o programa ENTER, a Huawei e Sierra Wireless, todos eles parceiros. A app desenvolvida pela Sernis “serve para gerir os lugares de estacionamento de rua nas cidades”, começou por explicar Fernando Afonso, CEO da empresa. Os sensores (em cor encarnada e verde) servem para avisar “em tempo real” as vagas existentes, “havendo a possibilidade de fazer uma pré-reserva do lugar”, adiantou. “Imagine que necessita de ir a um médico ou reunião. Antes de ir pode marcar o lugar. Somos a única aplicação no mundo que dá essa possibilidade de reservar um lugar.”, reforçou.

Por fim, ainda dentro da categoria de Smart Cities, a Thinkdigital desenvolveu um sensor inteligente - 5D Space Monitor – "capaz de monitorizar vários indicadores sobre o espaço envolvente, nomeadamente, a presença humana, nível de ruído, temperatura, humidade e luminosidade, fazendo, assim, a monitorização da utilização de espaços como sejam salas de reuniões”, descreveu o responsável da empresa Nuno Ferreira.

“Este evento tecnológico quer através da identificação e o recrutamento do talento tecnológico português apoiar e dinamizar a transformação digital do tecido empresarial em Portugal”, sublinhou Mário Sousa, diretor da PT Empresas antes da entrega dos prémios, recordando que as equipas participantes desenvolveram e testaram “num curto espaço de tempo”, entre os meses de julho e setembro, os projetos no “golabs.IoT da Altice Portugal, laboratório catalisador do ecossistema nacional IoT”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.