A WT:Social é uma nova rede social que permite que os utilizadores partilhem links de artigos e os discutam num feed de notícias ao estilo do Facebook, conta o Financial Times. E os tópicos são diversos, como por exemplo política, tecnologia, música.

Apesar de este projeto ser completamente separado da Wikipedia, Jimmy Wales está a aplicar o modelo de negócio da enciclopédia online, uma vez que a rede social está dependente de doações de utilizadores, para permitir que funcione sem publicidade —  o que, segundo ele, incentiva o envolvimento errado nas redes sociais.

"O modelo de negócio das redes sociais, com base na publicidade, é problemático", refere Wales. "Aí, o grande vencedor é o conteúdo de baixa qualidade".

Até ao momento, já foram recebidas cerca de 200 doações, o que prova, segundo Jimmy Wales, que as pessoas estão disponíveis para este modelo, facto também comprovado pelas assinaturas da Netflix, Spotify e The New York Times. No fim, para o fundador, o que importa é "pagar por conteúdo significativo".

Apesar disto, Wales tem noção das limitações. "Não será extremamente lucrativo, mas será sustentável", afirmou. Neste momento, a empresa possui apenas alguns funcionários, incluindo programadores e um gestor de comunidade.

Comparando com o Facebook e com o Twitter, há uma diferença no feed de notícias. Enquanto nestas redes os algoritmos garantem que as publicações com mais comentários ou likes sobem para o topo, a WT:Social coloca os links mais recentes em primeiro lugar. E, no futuro, espera-se que seja adicionado um botão que vai permitir aos utilizadores recomendar histórias de qualidade.

Lançada no mês passado, a WT Social tem quase 50 mil utilizadores. Contudo, ainda lhe falta crescer muito para atingir utilizadores do Facebook. Mas o fundador não desiste disso. "Obviamente, a ambição não é de 50 mil ou 500 mil, mas de 50 milhões e 500 milhões", disse Wales.

Depois de várias alternativas terem surgido e desaparecido para combater o Facebook, Wales acredita que agora é a hora certa para uma nova rede social que acabe com "o disparate do 'clickbait'".

"As pessoas estão a sentir-se cansadas de todo o lixo que as rodeia", afirmou. "Os novos projetos de media estão a fazer o melhor que conseguem neste ambiente difícil, mas atualmente existe um problema com a distribuição [de notícias]".

A WT:Social é um spin-off do  Wikitribune, o site que Wales iniciou ao lado do cofundador Orit Kopel há dois anos.  O Wikitribune foi lançado com uma campanha de crowdfunding em 2017, mas acabou por não atrair um grande público.

Há um ano, Wales foi forçado a demitir os jornalistas, editores e técnicos que tinha contratado para trabalhar. Uma falha, diz Wales, foi a tentativa de cobrir histórias que atraíam leitores de todo o mundo. Agora, em vez disso, a WT:Social espera construir comunidades menores e de nicho que possam ser sustentáveis por si, com interesses variados.

Com tudo isto, Jimmy Wales sabe que o risco é algum: "Esta é uma experiência radical e maluca", apontou. "Fico feliz em dizer que não sei todas as respostas".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.