A empresa de biotecnologia norte-americana Moderna também anunciou ter lançado testes sobre o mesmo produto no início de julho.

O ensaio clínico da Pfizer está a decorrer nos Estados Unidos e vai avaliar a segurança de uma dose dessa nova vacina e a sua capacidade de provocar uma reação imunitária em pessoas saudáveis que tenham entre 65 e 85 anos.

Segundo os dados publicados num 'site' governamental norte-americano, os testes envolvem centenas de participantes.

As atuais vacinas utilizam vírus inativados, um processo de produção mais demorado. A eficácia das vacinas usadas neste momento é de 40% a 60%.

Segundo a Pfizer, "a flexibilidade da tecnologia de RNA mensageiro e a sua produção rápida" podem facilitar o fornecimento e a eficácia das vacinas contra a gripe.

A Organização Mundial de Saúde considera que a gripe é responsável por três a cinco milhões de casos de doença grave por ano, causando entre 290.000 e 650.000 mortes.

A Pfizer prevê ainda estudar a utilização da tecnologia RNA mensageiro para combater outros vírus respiratórios e contra doenças genéticas e cancros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.