Em comunicado hoje divulgado, a PJ adianta que da desativação do grupo resultou o desmantelamento de 70 servidores na América do Norte, Europa e Ásia e vários dos principais suspeitos foram detidos.

A rede, que estava a ser investigada desde setembro de 2016, obtinha discos Blu-ray e DVD com conteúdos inéditos e comprometia a proteção dos direitos de autor ao reproduzir e ao carregar o seu conteúdo em servidores online.

Os conteúdos eram divulgados e reproduzidos em plataformas de “streaming”, em redes “peer-to-peer” e “Torrent", disponibilizando a transmissão antes do lançamento.

Segundo a PJ, o grupo terá reproduzido e divulgado centenas de filmes e programas de televisão antes da sua data de lançamento, incluindo quase todos os filmes lançados pelos principais estúdios de produção nos Estados Unidos, causando dezenas de milhões de dólares americanos em prejuízos aos estúdios de produção cinematográfica.

A participação da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica da PJ na investigação fez-se através da realização de buscas domiciliárias, diversas apreensões e desmantelamento de um servidor de partilha e distribuição deste tipo de conteúdos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.