Na obra, segundo o texto de apresentação, Elmano Sancho evoca “a conflituosa reviravolta de expectativas em torno do seu nascimento”: os pais esperavam uma menina, de nome já destinado, Cléopâtre, mas nasceu um rapaz.

Com a obra, o encenador e ator “pretende dar vida a esse outro desejado de si mesmo, como se fosse uma espécie de duplo e existisse numa realidade paralela”.

Para erguer esta outra figura, Elmano Sancho “imergiu no mundo fascinante e provocador do transformismo”.

A obra explora assim “a presença ou ausência de fronteiras entre realidade e ficção, ator e personagem, homem e mulher, para que pensemos no outro eu que albergamos”, lê-se na folha de sala.

Com texto e encenação de Elmano Sancho, que também interpreta, a peça conta com atuações de Dennis Correia ‘aka’ Lexa BlacK, Pedro Simões ‘aka’ Filha da Mãe e Marie Carré (em vídeo).

A sessão do próximo domingo tem interpretação em Língua Gestual Portuguesa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.