Tiago Ribeiro, 32 anos. Pedro Ribeiro, 36. Têm o mesmo apelido, mas não são irmãos. São os "The Brothers", uma banda musical que tem o epicentro em Albufeira, Algarve, mas que já ganhou fama pelo mundo. O primeiro, canta. O segundo, toca e canta. Juntos, formam o "The Brothers Show". "Um nome fácil", garante Pedro.

Tiago começou por dar os primeiros passos na dança. "Estive sempre ligado à música. Dançava hip-hop e comecei a cantar, a sério, há 12 anos. Fui ao primeiro Got Talent Portugal, onde fui finalista e fiquei em 2.º lugar", apresenta-se.

Pedro deu, primeiro, pontapés numa bola. Com a maioridade pendurou essa arte e dedicou-se à música. "Fui jogador do Algés (URDA), Casa Pia e Estrela da Amadora. O futebol entra em crise, não pagavam salários e como já tinha umas bandas, a música dava dinheiro... Tinha 18 anos e decidi. Canto há 21 anos e fui ao X Factor", conta.

Estão juntos há quatro anos. Cantam em bares e, mais recentemente, em restaurantes. Em inglês, português e espanhol. Todo o género musical.

"Atuamos nos bares da baixa de Albufeira. No Vegas, Dominó, Atrium...". Tiago Ribeiro cita alguns dos nomes. "Fomos os primeiros a arrancar [depois do confinamento] em Albufeira. No final de junho, às sextas-feiras, sábados e domingos", recua.

Entretanto, e por causa da pandemia da covid-19 e das medidas sanitárias inerentes, “os donos dos restaurantes começaram a perceber que os bares não iam abrir, que são os nossos clientes, e começámos a fazer mais [concertos nos] restaurantes”, explica ao SAPO24, no intervalo de uma atuação no Jacks Irish Pub, na Marina de Albufeira. Três dias antes escutámo-los no “Viva La Cicci”, uma steakhouse colada à marina.

Pedro interrompe. “[Os restaurantes] Adoraram a ideia. Andavam há um tempo atrás de nós, só que não tínhamos agenda e datas disponíveis. E agora estamos todos os dias a atuar em restaurantes”, acrescenta.

“Este ano, exploramos um novo mercado, mas na área da música está a ser muito complicado. Há colegas nossos que estão a passar dificuldades. Nós adaptámo-nos”, destaca Pedro Ribeiro.

300 concertos por ano

Colunas, som, guitarras e tudo o mais é pertença de uma dupla que aposta a cada dia numa indumentária apropriada ao espaço e hora em que tocam. “Fazemos e gerimos tudo. Gerimos a nossa agenda. Somos managers de nós mesmos. E também agenciamos outros músicos. Por vezes, não conseguimos e indicamos alguém da nossa confiança”, sublinha Tiago Ribeiro.

“Fazemos cerca de 300 concertos por ano”, acrescenta o antigo finalista do reality e talent show. “No verão, é mais concentrado. Fazemos nove concertos por semana. Hoje [domingo, 26 de julho] é um dos dias em que fazemos dois ou três por dia”, sublinha o antigo futebolista.

Desengane-se quem pensa que estes dois lisboetas resumem a vida ao verão algarvio. “Tocamos no país, na Europa e no mundo inteiro. Irlanda, Holanda, Inglaterra, França... É malta que nos vê tocar e entra em contacto connosco. O cliente chega direto a nós. Diz 'adorámos vê-los em Albufeira e temos uma festa privada a que gostávamos que viessem cantar'", explica Tiago. “Nunca paramos. Trabalhamos o ano todo. De abril até novembro e aos fins de semana”, sublinha. Um calendário num ano normal. Para os meses que se aproximam, “já disseram que nos querem durante a semana. Há muitos restaurantes no Algarve que vão ficar abertos”, antecipa.

“Temos clientes em Lisboa, mas aqui o mercado é grande e não resta muita disponibilidade para andar para cima e para baixo. É a nossa vida”, argumenta Pedro Ribeiro, uma vida que tem outra face. “As nossas mulheres não se queixam, estão habituadas. Por vezes, vêm atrás”, despede-se, já com a guitarra na mão, pronto para voltar a cantar e tocar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.