Entre as obras expostas estão reproduções dos ‘graffiti’ que tem pintado em vários locais por todo o mundo, bem como trabalhos originais, obras a três dimensões, fotografias e desenhos, de acordo com a agência de notícias EFE.

Em muitas obras Banksy aborda temas como a guerra, as injustiças, a pobreza, a escravidão e a hipocrisia da sociedade capitalista, com recurso à sátira.

A exposição, com trabalhos provenientes da galeria britânica Lilley Fine Art, de alguns museus de arte contemporânea e de colecionadores privados de vários países, está patente na Casa Central de Artistas, num espaço com mais de dois mil metros quadrados.

Algumas obras foram mostradas em 2002 em Los Angeles, naquela que foi a primeira exposição de trabalhos do artista britânico, cuja verdadeira identidade é desconhecida, “Existencilism”.

Na mostra há também registos do hotel Walled Off, que Bansky inaugurou no ano passado em Belém, Cisjordânia, e do parque de diversões Dismaland, uma sátira à Disneylândia que o artista montou em agosto de 2015, numa cidade costeira em Inglaterra.

Como é habitual, o artista não esteve presente na inauguração da exposição, que estará patente até 02 de setembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.