“Meu pai faleceu pacificamente hoje (…) É muito difícil para nós (…) É e será um enorme vazio nas nossas vidas”, escreveu Patrick O’Neal, comentarista desportivo de Los Angeles, na rede social Instagram.

“O meu pai, Ryan O’Neal, sempre foi o meu herói”, disse, acrescentando: “Ele é uma lenda de Hollywood. Ponto final”.

A causa da morte não foi indicada na mensagem, mas Ryan O’Neal foi diagnosticado com cancro da próstata em 2012, uma década depois de ter sido diagnosticado pela primeira vez com leucemia crónica.

Com a sua primeira mulher, Joanna Moore, O’Neal foi pai dos atores Griffin O’Neal e Tatum O’Neal, sua colega de elenco no filme “Lua de Papel”, de 1973, pelo qual ela ganhou um Óscar de melhor atriz secundária.

Ryan O’Neal teve a sua própria nomeação para um Óscar de melhor ator pelo drama de 1970 “Love Story”, ao lado de Ali MacGraw, uma história de 1970 sobre o grande amor de uma vida, o filme de maior sucesso da Paramount até àquele ano, com sete indicações para o Óscar.

O ator teve o filho Patrick com a sua segunda mulher, Leigh Taylor-Young.

O’Neal foi uma das maiores estrelas de cinema do mundo na década de 1970, quando trabalhou com muitos dos diretores mais célebres da época, incluindo Peter Bogdanovich em “Lua de Papel” e Stanley Kubrick em “Barry Lyndon”.

Manteve uma carreira estável de ator de televisão até aos 70 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.