Rui Louro é padre e capelão do Hospital Egas Moniz, em Lisboa. Com a pandemia viu as suas rotinas mudar: as missas com a presença de fiéis foram colocadas em pausa e até o trabalho no hospital passou a ser feito de forma diferente, considerando o contacto com os doentes e a segurança de todos.

Numa conversa gravada já em fase de desconfinamento, conta-nos como reagiu a todas as mudanças dentro do hospital, garantindo que, com todos os cuidados extra, nenhum doente fica sem apoio espiritual se assim o entender.

Como está a viver estes tempos de pandemia? E como é que isso afetou a sua vida a nível pessoal e profissional? Conte-nos a sua história através do e-mail 24@sapo.pt.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.