O californiano convertido ao Islão e pai de um bebé foi considerado culpado em dezembro passado da tentativa de se juntar a uma organização terrorista.

Teausant foi detido em março de 2014, quando tentava cruzar a fronteira com o Canadá. De lá, afirmam as autoridades, pretendia seguir para a Síria. Depois de cumprir 12 anos de prisão, Nicholas Teausant está sujeito a mais 25 anos com liberdade condicional.

O FBI começou a vigiar Teausant depois deste ter escrito, nas redes sociais, que gostaria de "fazer parte da Jihad (Guerra Santa) e de participar na queda dos Estados Unidos".

Um informador do FBI entrou em contato com ele, e Teausant mencionou a possibilidade de um ataque ao metro de Los Angeles. Depois, voltou atrás na sua declaração.

No julgamento, o advogado de Nicholas Teausant alegou que o seu cliente não representava, de fato, uma ameaça para a segurança do país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.