“A primeira etapa foi muito bem gerida”, declarou o ministro da Saúde austríaco, Rudolf Anschober, numa conferência de imprensa em que fez o balanço da primeira fase do plano de desconfinamento.

Iniciada em 14 de abril, esta primeira fase previa a reabertura de várias categorias do setor do comércio que tinham estado encerradas durante um mês.

“A situação é muito estável, tomámos as decisões certas no momento certo”, acrescentou o ministro austríaco.

O aumento diário do número de novos contágios na Áustria, que chegou a estar próximo dos 50% quando as medidas de restrição foram impostas no país, situa-se neste momento no nível mínimo de 0,2%.

No próximo sábado está prevista a reabertura de todas as lojas de comércio na Áustria, um dia depois do levantamento oficial das medidas restritivas em termos da circulação de pessoas.

Apesar de o teletrabalho continuar a ser incentivado pelas autoridades austríacas, é expectável que muitas pessoas comecem a regressar aos respetivos postos de trabalho no início da próxima semana e que o uso dos transportes públicos aumente progressivamente.

Os cafés e restaurantes deverão reabrir em 15 de maio.

Após o regresso às aulas dos estudantes finalistas do liceu na segunda-feira, está previsto que os restantes níveis de educação escolar sejam retomados em 18 de maio.

As fronteiras do país, fechadas em 10 de março, não foram reabertas, à exceção de algumas derrogações.

A Áustria, país com cerca de 8,8 milhões de habitantes e que é liderado por uma coligação governamental entre conservadores e Verdes, registava hoje, e desde o início da crise, um total de 15.569 infetados, incluindo 2.107 casos ainda ativos e 606 vítimas mortais.

Atualmente, os austríacos devem usar máscaras de proteção individual no interior das lojas e nos transportes públicos, bem como respeitar regras de distanciamento social em locais fechados.

O balanço e os resultados da segunda fase do plano de desconfinamento, que arrancou esta semana, deverão ser avaliados dentro de 10 dias.

“Se conseguirmos fazer isto sem um grande aumento [de contágios] e os números permanecerem estáveis, teremos dado um grande passo em frente”, afirmou Rudolf Anschober, reiterando, no entanto, os apelos para uma contínua vigilância por parte da população austríaca.

O instituto Statistik Austria testou, entre 21 e 24 de abril, uma amostra representativa de 1.432 pessoas com mais de 16 anos, tendo informado que apenas uma pessoa tinha testado positivo para o novo coronavírus, o que representou uma taxa de infeção de 0,15%.

Outro estudo realizado na Áustria durante a primeira semana de abril tinha indicado uma taxa de infeção na ordem dos 0,33%.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias France-Presse (AFP), a pandemia de covid-19 já provocou mais de 251 mil mortos e infetou quase 3,6 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1.1 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.