A agência definiu "cinco fases progressivas" para a futura campanha de vacinação, com a diretriz de "proteger de maneira prioritária os mais vulneráveis e os que tratam estas pessoas", explicou a presidente da HAS, Dominique Le Guludec.

Além das pessoas idosas que vivem em casas de repouso (quase 750 mil), a primeira fase da vacinação incluirá os funcionários destes estabelecimentos "que apresentam um risco de forma grave (maiores de 65 anos ou com alguma comorbidade)", que são 90 mil a 100 mil pessoas.

A segunda fase envolverá todos os adultos idosos, assim como os profissionais dos setores de saúde, médico-social e de transporte de saúde, com prioridade para as pessoas com mais de 50 anos" ou que apresentem riscos de contrair a doença.

Na terceira fase serão contempladas "todas as pessoas com mais de 50 anos ou abaixo desta idade mas com risco grave por comorbidade", assim como os demais profissionais do setor de saúde e "profissionais de setores indispensáveis para o funcionamento do país".

A HAS recomenda ampliar numa quarta etapa para os "profissionais cujo trabalho favorece uma infeção (contatos regulares com o público ou ambiente fechado) e para as pessoas vulneráveis com um prognóstico menos favorável em caso de infeção por covid-19 (sem residência fixa, detentos e outros)".

Na quinta e última fase se iniciaria a vacinação de todos os maiores de 18 anos e sem comorbidade.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.