“A avaliação ambiental estratégica deverá ser entregue em 2023. É importante que este processo decorra de forma estável e com o menor ruído à volta”, afirmou Hugo Santos Mendes, no encerramento da Conferência Internacional de Controlo de Tráfego Aéreo, referindo que os trabalhos de análise terão início em 2022.

Segundo o governante, em cima da mesa estão três opções – a Portela + Montijo, uma solução alternativa em que o Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de infraestrutura principal, enquanto o Aeroporto Humberto Delgado se tornará complementar e ainda a construção de um novo aeroporto internacional no campo de tiro de Alcochete.

Durante a sua intervenção, o secretário de Estado notou haver quem discorde das opções submetidas a avaliação, mas ressalvou que ao fazer esta escolha, o Governo fez um “juízo preliminar” das vantagens e desvantagens de cada uma delas.

“Iniciado o processo, o Governo pretende manter descrição e equidistância face a cada uma das opções em estudo”, acrescentou.

Hugo Santos Mendes sublinhou ainda que, após a entrega do estudo, “múltiplos critérios” vão orientar a escolha do Governo, ressalvando que “nenhuma decisão será consensual”.

Contudo, no final da avaliação, “o país terá mesmo que tomar uma decisão, sem retorno”, vincou.

Na sessão promovida pela Associação portuguesa dos Controladores de Tráfego Aéreo (APCTA), o governante saudou ainda o esforço dos trabalhadores da aviação durante a pandemia de covid-19, um setor que apontou como dos mais afetados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.