Em estado “altamente letárgico”, os veterinários não estão a conseguir travar esta infeção que classificam como “muito resistente ao tratamento”. Desta forma, o grupo de profissionais está a tentar que os momentos de Tilikum sejam mais calmos e confortáveis.

“Tem sido o nosso dever e paixão certificar-nos que lhe damos o máximo de cuidado possível”, disse Daniel Richardville, um dos treinadores, no site do parque de diversões.

Tilikum é uma orca do sexo masculino, estima-se que tenha 35 anos e tem sido mantido em cativeiro em Orlando, nos últimos 23 anos, depois de uma passagem pelo aquário Sealand of the Pacific, no Canadá. Sabe-se que Tilikum foi capturado perto da costa da Islândia.

Esta orca foi alvo do documentário “Blackfish”, realizado em 2013, que denunciava maus tratos por parte do SeaWorld, revelando ainda que a baleia matou três pessoas - duas treinadoras e uma pessoa que tinha invadido o espaço do parque fora do horário de funcionamento. O documentário especulava que o animal se tinha tornado psicótico como resultado da sua condição de cativeiro.

O SeaWorld negou todas as acusações mas grupos ativistas concordaram com a teoria do documentário depois de analisarem o comportamento da baleia, segundo o Mashable.

O parque de diversões vive um momento especialmente difícil e a deterioração do estado de saúde de Tilikum coloca o SeaWorld debaixo de mais publicidade negativa. Só em 2015, três baleias, uma orca e duas belugas, faleceram neste parque devido a infeções.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.