Ao intervir na XI Convenção Nacional do BE, Pedro Soares enquadrou os socialistas portugueses neste quadro, apontando "as múltiplas limitações do PS para enfrentar a voragem predadora da finança".

"O BE tem origem neste combate à social-democracia rendida ao liberalismo. Já chega de anos de centrão e de políticas de ´vira o disco e toca o mesmo', de desmantelamento social, de ataque ao Estado social...", acentuou.

Neste sentido, sustentou que o "braço-de-ferro" que o partido tem de fazer no futuro é o de garantir a "autonomia total do BE" para fazer as mudanças necessárias na legislação laboral, na transição energética, na descentralização e na urgência de "enfrentar o lóbi das celuloses" e de "devolver os serviços públicos aos territórios".

"Nós não queremos nada menos do que mudar o país. Queremos fazer tudo aquilo que o PS não foi e não é capaz de fazer", concluiu Pedro Soares.

Este é o primeiro dia da reunião magna dos bloquistas, que deverão reconduzir Catarina Martins no cargo de coordenadora do Bloco de Esquerda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.