A nova regra, oficializada num decreto publicado na última quinta-feira no Diário Oficial da União, permite que os venezuelanos com residência temporária de dois anos que não tenham registo criminal no Brasil e comprovem meio de subsistência possam, três meses antes do vencimento deste visto, solicitar a residência permanente.

Além de facilitar a imigração, o Governo brasileiro também anunciou que a Força Aérea Brasileira (FAB) começou a produzir e a distribuir diariamente cerca de 800 refeições em Boa Vista, capital e Roraima, aos venezuelanos que ali se encontram.

"A previsão é que, com o tempo, sejam produzidas 4,5 mil refeições por dia para serem distribuídas aos venezuelanos, sendo 1,5 mil no café da manhã, 1,5 mil no almoço e 1,5 mil no jantar. A distribuição é feita pelo Exército diretamente nos abrigos do município", explicou o major Solano Magalhães de Carvalho Vila Nova, chefe do Grupamento de Apoio de Boa Vista, num comunicado publicado na página do Governo brasileiro na Internet.

A FAB estima que cerca de 800 imigrantes chegam diariamente a Roraima, fugindo da crise humanitária na Venezuela, em sua maioria, pela cidade de Pacaraima, que fica no lado brasileiro da fronteira comum.

O mesmo órgão informou que apenas em 2018 mais de 24 mil venezuelanos entraram no Brasil por Pacaraima.

Atualmente cerca de 40 mil venezuelanos estão em Boa Vista, muitos deles vivendo em abrigos ou nas ruas, e que representam atualmente 10% da população da cidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.