A vereadora do PSOL Marielle Franco foi assassinada a tiro na noite desta quarta-feira no centro do Rio de Janeiro, quando regressava de um evento, informaram as autoridades, citadas pela agência France-Presse. Marielle tinha participado, no início da noite, num evento chamado "Jovens Negras Movendo as Estruturas", na Lapa.

Avança o portal G1 que no momento do crime, a vereadora estava no banco de trás do carro, no lado do pendura. "Como o veículo tem filme escuro nos vidros, a polícia trabalha com a hipótese de os criminosos terem acompanhado o grupo por algum tempo, tendo conhecimento da posição exata das pessoas", escreve aquela publicação brasileira.

"O governo federal acompanhará a investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista que a acompanhava", informou o governo brasileiro numa nota.

Muito ativa na luta pelos direitos humanos, Franco regressava para casa quando um carro se aproximou daquele em que seguia, tendo disparado vários tiros, informou o site G1. Segundo as primeiras informações, ela e o motorista morreram no ataque, enquanto a assistente da vereadora escapou com vida.

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) lamentou a morte da militante e expressou sua "indignação" pelo ocorrido.

Franco entrou na Câmara Municipal do Rio nas eleições de 2016, como a quinta vereadora mais votada, com 46 mil votos, segundo o jornal 'O Globo'.

Nascida e criada no complexo de favelas da Maré, uma das zonas mais violentas do Rio, era graduada em Sociologia e fez mestrado em Administração Pública na Universidade Federal do Rio. Trabalhou como assessora do deputado do Estado do Rio e ex-candidato a prefeito Marcelo Freixo.

Há duas semanas, assumiu a função de relatora da Comissão da Câmara de Vereadores do Rio criada para acompanhar a atuação das tropas na intervenção federal na área de segurança do Rio, decretada pelo presidente Michel Temer para conter a escalada da violência neste Estado.

Uma das últimas publicações que fez na rede social Twitter chamava precisamente a atenção para a violência policial nas ruas do Brasil.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.