As autoridades estatais investigam se os veículos queimados têm relação com o motim ou são uma resposta à transferência dos presos da Penitenciária Estatal de Alcaçuz, em Nisia Floresta, cidade da região metropolitana de Natal, segundo a Polícia Militar.

O Governo de Rio Grande do Norte transferiu hoje cerca de 200 presos alegadamente ligados à fação do Sindicato do Crime (SDC) numa operação em que participaram agentes do Batalhão de Operações Especiais e da polícia choque.

Com esta ação, as autoridades esperam retomar o controlo do estabelecimento prisional, onde desde domingo os prisioneiros vivem amotinado e se viram apoiantes do grupo Primeiro Comando da Capital (PCC), a maior fação do país, e do Sindicato do Crime.

Enquanto as autoridades procediam à transferência de prisioneiros, pessoas encapuzadas incendiavam autocarros de transporte público e um veículo do Governo estatal nas ruas de Natal e em várias regiões metropolitanas.

Desde o início do ano, mais de 130 presos foram brutalmente assassinados no interior de diferentes estabelecimentos prisionais de Amazonas, Roraima e Rio Grande do Norte em confrontos entre grupos rivais, que se juntam aos habituais problemas de excesso populacional nas prisões e das péssimas condições do sistema penitenciário do Brasil.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.