"Gostei muito de trabalhar consigo. É uma grande profissional e uma pessoa que ama muito o seu país", elogiou Trump, dirigindo-se a Theresa May, numa conferência de imprensa conjunta em Londres, onde se encontra desde segunda-feira.

Porém disse que, no lugar dela, teria "processado" a União Europeia para forçar a saída do Reino Unido, adiada da data prevista de 29 de março devido ao impasse existente no Parlamento sobre o acordo negociado com Bruxelas.

"Mas nunca se sabe. Ela é provavelmente uma melhor negociadora do que eu", ironizou.

A primeira-ministra britânica, que deverá formalizar a demissão de líder do partido Conservador na sexta-feira, abrindo caminho também para a sua sucessão à frente do governo, reiterou ser do interesse do país sair da UE com um acordo.

"Obviamente, caberá a quem me suceder como primeiro-ministro levar este processo para a frente", vincou.

Sobre este tema, Donald Trump, mais uma vez, ignorou a tradição de líderes estrangeiros não comentarem política interna dos outros países e enalteceu o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Boris Johnson, bem como o atual chefe da diplomacia britânica, Jeremy Hunt, ambos candidatos a primeiro-ministro.

"Eu conheço o Boris. Eu gosto dele. Eu gosto dele há muito tempo, acho que ele faz um ótimo trabalho. Eu conheço o Jeremy, acho que ele faz um ótimo trabalho", afirmou, alegando não conhecer o ministro do Ambiente, Michael Gove, apesar de este o ter entrevistado para o jornal The Times pouco depois de ter sido eleito Presidente dos EUA.

Trump revelou também ter recusado uma reunião com o líder do partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, o qual participou o discursou numa manifestação popular com milhares de pessoas perto do local da conferência de imprensa.

A conferência de imprensa com Theresa May aconteceu no segundo dia de uma visita de Estado do presidente norte-americano ao Reino Unido, que hoje começou por um pequeno-almoço com empresários dos dois países.

À noite, o chefe de Estado oferece um jantar de agradecimento na residência do Embaixador dos EUA, no qual o príncipe Carlos vai participar em nome da rainha.

Na quarta-feira, Trump, a rainha o príncipe Carlos e outros chefes de Estado ou de Governo participam num evento comemorativo em Portsmouth, no sul de Inglaterra do 75.º aniversário do desembarque do Dia D das forças aliadas que contribuiu para a derrota da invasão nazi na II Guerra Mundial.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.