A menos de duas semanas da consulta, as últimas sondagens dão vantagem aos partidários de abandonar o bloco. Numa nova aparição na televisão como parte da sua campanha a favor da permanência na UE, Cameron declarou neste domingo à BBC que o país enfrentará "uma década perdida" se abandonar a União Europeia.

"Terá que se negociar a saída", e "terá que ser negociado um acordo comercial com a UE", o que "absorveria a energia do nosso governo e de nosso país", declarou o líder conservador. Por isso, "acredito que enfrentaríamos uma década de incertezas", insistiu.

Por sua parte, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, falou em sete anos sobre o tempo necessário para se concretizar uma saída do Reino Unido da UE se os britânicos votarem a favor do Brexit.

Cameron voltou a pedir aos cidadãos que votem pela permanência. "Não humilharás o teu país por estar dentro da UE, pelo contrário, o fortalecerás".

Nigel Farage, líder do partido populista Ukip, favorável a uma saída da UE, disse, entretanto, que há que se divorciar de "um projeto que fracassou". "As pessoas estão fartas das ameaças do primeiro-ministro e do ministro das Finanças" sobre os perigos económicos de sair da União, disse Farage no mesmo programa político da BBC.

Segundo Farage, o Reino Unido estaria muito bem fora do bloco, e a preocupação número um dos cidadãos é o fluxo migratório procedente da UE, permitido pela livre circulação de pessoas dentro da mesma.

De acordo com um artigo do Sunday Times, que cita documentos diplomáticos, as autoridades britânicas estariam dispostas a permitir a chegada ao país de 1,5 milhão de cidadãos turcos sem visto. A afirmação foi desmentida pela ministra do Interior, Theresa May, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Philip Hammond, num comunicado conjunto. "É completamente falsa", afirmaram.

Nesta linha, Cameron disse este domingo à BBC que "não há perspectiva de que a Turquia se una à UE em décadas. Neste ritmo, entrarão (na União) no ano 3.000", completou o primeiro-ministro.

Vantagem do Brexit em pesquisas

O Sunday Times publicou uma nova sondagem, realizada pelo instituto YouGov, que dá aos partidários da saída 43% em intenções de voto, um ponto a mais do que os partidários da permanência na UE. Um total de 11% dizem estar indecisos, e 4% preveem abstenção.

No sábado, outra sonfagem, do instituto ORB, deu aos partidários do Brexit uma vantagem de dez pontos, excluindo os indecisos. "Ninguém sabe o que significam estas sondagens", comentou este domingo Cameron, que mantém o seu otimismo envolvendo o resultado do referendo. Nigel Farage afirmou que o público deu a volta a favor do Brexit nos últimos quinze dias.

Os pró-Brexit obtiveram, neste domingo, o apoio de Julian Assange, fundador do Wikileaks, refugiado na embaixada do Equador em Londres há mais de três anos. Em entrevista à rede ITV, Assange declarou-se "bastante favorável" ao Brexit, acusando o governo britânico de usar a UE como "cobertura política" por trás da qual se refugia para se redimir de suas ações.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.