Na marcha não faltaram muitos cartazes coloridos, onde se liam frases em português e inglês, como "O que é que nós queremos? Justiça climática", "Deixai passar, sou ativista e o mundo vou mudar", "Senhor ministro, explique por favor porque é inverno e ainda faz calor", "You are killing us", "Make earth green again" e "Be part of the solution, not part of the polution", entre outras.

Muitos usando máscaras de proteção contra a poluição, saltando e batendo palmas, todos seguiram até ao centro da vila, em frente à câmara municipal, aplaudidos por quem assistia à passagem da manifestação.

Foi junto aos Paços do Concelho que se ouviram as palavras de ordem com mais intensidade, que expressavam a preocupação face às questões do clima, como que a fazer jus ao nome da artéria onde decorria a atividade: Rua Senhor dos Aflitos.

O presidente da câmara, Pedro Machado, desceu à rua para dar as boas-vindas aos jovens e elogiar aquela atividade.

O autarca assinalou a proatividade dos adolescentes em prol do ambiente e agradeceu a participação que muitos no concelho têm revelado nas ações de voluntariado promovidas pela câmara em defesa do ambiente, nomeadamente das florestas e dos rios.

Para Pedro Machado, a marcha que hoje aconteceu em Lousada contribui para a "mudança de mentalidades" daqueles que ainda não estão sensibilizados para as questões ambientais.

De megafone na mão, afirmou: "Não tenho memória de a juventude se unir assim de forma tão expressiva e está aqui a prova que os mais novos querem mesmo saber, estão preocupados com o futuro de todos nós, com o futuro do planeta".

Os jovens deixaram na praça os cartazes com as palavras de ordem para que a população os pudesse ler. Entregaram também ao presidente do município um manifesto com as suas preocupações.

A jovem ativista Eva Cosme, da organização, disse à Lusa ter ficado surpreendida com a adesão de tantos jovens, referindo que as questões do ambiente são uma preocupação crescente para as gerações mais novas.

"Somos um concelho muito jovem, mas não há muito espírito de reivindicação, nem essa tradição, como nas grandes cidades, mas como correu, com esta mobilização, foi muito gratificante", afirmou.

Elogiou ainda as boas iniciativas da autarquia na área ambiental e agradeceu o apoio deixado pelo presidente da câmara.

No final, à Lusa, resumiu a mensagem que aquela marcha pretendeu deixar: "Se não nos unirmos todos, população, municípios e Governo, não vamos conseguir mudar muito. O que é mais importante com estas atividades é fazer com que os governos tomem medidas mais duras em defesa do ambiente".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.