Pré-candidata democrata na corrida pela Casa Branca, Hillary foi acusada de ter usado um servidor privado de e-mail no período em que foi secretária, colocando segredos de Estado em risco. Até ao momento, o Departamento de Estado revelou cerca de 46.000 de 55.000 páginas de e-mails. O total deve ser publicado até ao fim do mês.

Ontem foram divulgadas 1.012 páginas parcialmente redigidas de documentos enviados por intermédio de seu servidor privado. O lote inclui 81 e-mails que foram reclassificados como "confidenciais", o nível mais baixo de classificação. Três foram considerados "secretos", acrescentou o Departamento de Estado. "A informação que atualizamos hoje não estava etiquetada como classificada no momento em que os e-mails foram enviados", detalhou a mesma fonte.

Em janeiro, o Departamento de Estado disse que 22 dos documentos encontrados no servidor privado continham material considerado "top secret" e que não seriam divulgados ao público. Desde 2012, o Departamento da Defesa proíbe seus funcionários de usarem seus correios eletrônicos pessoais para tratar de assuntos do governo. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.