A resolução, que pede à UNITAMS que inicie imediatamente o processo de cessação das suas operações na "medida do possível", foi aprovada com o voto favorável de 14 dos 15 Estados-membros do Conselho de Segurança, registando-se a abstenção da Rússia.

O texto agora aprovado aponta 29 de fevereiro de 2024 como a data limite para a conclusão do processo de cessação das operações e do processo de transferência das tarefas da UNITAMS para agências, fundos e programas da ONU.

A votação de hoje surge no contexto de uma grave escalada de violência no Sudão.

No mês passado, o Sudão já tinha pedido ao secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, "o fim imediato" da missão da ONU no país, segundo uma carta distribuída ao Conselho de Segurança da ONU.

Nessa carta oficial em árabe, datada de 16 de novembro - acompanhada de uma carta em inglês do embaixador do Sudão na ONU, Al-Harith Idriss Al-Harith -, o Ministério dos Negócios Estrangeiros informou António Guterres da "decisão do Governo sudanês de pôr fim, com efeito imediato, à UNITAMS", que emprega centenas de civis desde 2020.

A carta foi distribuída entre os membros do Conselho de Segurança, que se reuniu para debater o conflito no Sudão.

Na ocasião, embaixador sudanês disse que a UNITAMS "já não respondia às necessidades e prioridades" do seu país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.