Esta reunião do órgão máximo do partido entre congressos está prevista começar pelas 09:00.

Da ordem de trabalhos consta a convocatória do próximo congresso ordinário do CDS-PP e a apresentação, discussão e votação do regulamento de eleição de delegados, do regulamento do congresso, além da eleição da Comissão Organizadora do Congresso.

Os conselheiros vão analisar também os resultados das eleições autárquicas de 26 de setembro e aprovar as atas das reuniões anteriores do Conselho Nacional.

De acordo com a proposta de regulamento do XXIX congresso do CDS-PP, elaborada pela direção e enviada aos conselheiros, à qual a Lusa teve acesso, a direção do CDS-PP vai propor ao Conselho Nacional que o próximo congresso eletivo do partido se realize nos dias 27 e 28 de novembro "em local a definir pela Comissão Organizadora do congresso".

As reuniões magnas centristas decorrem de dois em dois anos e se esta acontecesse na data prevista seria no final de janeiro ou início de fevereiro de 2022.

Na quinta-feira, um grupo de 25 conselheiros, entre os quais Pedro Mota Soares, João Gonçalves Pereira e Nuno Magalhães, endereçaram uma carta ao presidente do Conselho Nacional, Filipe Anacoreta Correia, na qual questionavam "os termos da convocatória" para a reunião de hoje e a urgência, acusando a direção de "atropelo de todas as regras e procedimentos" e "falta de democracia interna".

Num comunicado conhecido no mesmo dia, o presidente do Conselho Nacional considerou “totalmente infundadas” estas alegações e justificou que a reunião foi convocada "com caráter de urgência face à decisão de organizar antecipadamente o 29.º Congresso, de acordo com os prazos e as regras previstas nos regulamentos do partido".

Já na sexta-feira, numa resposta endereçada a Filipe Anacoreta Correia, os mesmos 25 conselheiros acusaram a liderança de querer "cercear direitos" e antecipar a reunião magna por "servir" à direção.

Nessa missiva, estes críticos argumentavam que a antecipação não permite "a existência de um debate pleno, livre, incondicional e esclarecedor junto de militantes e estruturas locais, relativamente aos projetos de candidatos que a seu tempo pretendam disputar a presidência", defendendo que o congresso poderia realizar-se em janeiro de 2022.

O Conselho Nacional do CDS-PP realiza-se um dia depois da apresentação da candidatura do eurodeputado Nuno Melo à liderança do partido. O atual líder, Francisco Rodrigues dos Santos, também já anunciou que se candidatará.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.