Carlos Alberto Silva, presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, que integra os hospitais de Penafiel e Amarante, pediu médicos de clínica geral para preencher as escalas da urgência de Penafiel à Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte e à ministra da Saúde. O pedido vem na sequência de vários médicos da instituição terem contraído Covid-19.

O jornal Público teve acesso a um e-mail de Carlos Alberto Silva, cujo assunto é “preciso mesmo de ajuda”.  No e-mail, informa ter internados 210 doentes com Covid-19, esta segunda-feira, sendo que dez estão nos cuidados intensivos.

“Já tenho 30 internados na urgência outra vez e hoje é segunda-feira”, escreve o administrador antes das 9h, numa mensagem dirigida ao presidente e à vice-presidente da ARS, com conhecimento da ministra da Saúde, Marta Temido.

Carlos Alberto Silva explica que pretende um reforço no pessoal médico: “Se tiverem médicos de clínica geral que possam vir fazer urgência era bom porque tivemos aqui alguns positivos que fragilizaram as escalas e está complicado”.

Contactada pelo Público, a ARS do Norte afirmou, através do gabinete de relações públicas, que o e-mail é um “documento interno” e que o pedido ainda não foi satisfeito, sendo que deverá acontecer em breve. O jornal tentou ainda contactar a assessoria de imprensa do centro hospitalar, mas esta não respondeu em tempo útil.

À agência Lusa, fonte da ARS-N referiu que "logo que rececionado o email [do presidente do conselho de administração do CHTS], de imediato o mesmo foi reencaminhado para todos os diretores executivos dos Agrupamentos de Centros de Saúde da Região, apelando a uma resposta célere".

Hoje o CHTS conta com 235 internados, dos quais 11 internados em cuidados intensivos.

Nas últimas semanas, a região do Tâmega e Sousa sido alvo de preocupações devido ao aumento de casos de infeção pelo novo coronavírus.

Com unidades em Penafiel e em Amarante, o CHTS presta apoio a cerca de 520 mil pessoas de uma região que inclui Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras, concelhos onde vigora o dever de permanência no domicílio desde 22 de outubro, medida que foi alargada sábado a um total de 121 municípios do país.

Numa reportagem de quinta-feira publicada pelo Expresso leem-se relatos de médicos que apontam para a “rutura do hospital”: Sentimo-nos em Itália mas sem que seja reconhecido isso. É como se as paredes não permitissem que se visse para dentro”, referiu uma das profissionais.

Na segunda-feira, fonte deste hospital confirmou à Lusa que o CHTS transferiu “cerca de 50” doentes covid-19 para outros hospitais da região e que 30 foram encaminhados doentes de Penafiel para Amarante.

A mesma fonte indicou à Lusa que o CHTS contabiliza “mais de 100” profissionais de saúde de todos os grupos profissionais, desde médicos a enfermeiros e assistentes operacionais, “infetados ou em isolamento profilático”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.590 em Portugal.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

(Notícia atualizada às 13h49)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.