Em comunicado hoje divulgado, a ANBP considera “muito crítico o atual momento que se vive devido à pandemia” e defende que “deveriam ser vacinados, de imediato, todos os bombeiros que fazem parte das equipas de covid-19”.

Segundo a associação “só protegidos os bombeiros poderão continuar a trabalhar na linha da frente”, alertando que “há quartéis com quase uma centena de bombeiros de quarentena, com testes realizados ou por contágio”.

O Presidente da República e recandidato disse no domingo que o Governo quer "acelerar o processo de vacinação" contra a covid-19 de bombeiros e defendeu que por transportarem doentes têm risco idêntico ao pessoal do INEM.

Em resposta, a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais diz que “não basta dizer, tem que se atuar”.

“Temos vindo a assistir a promessas e mais promessas, mas os bombeiros continuam a ficar para trás, quando deveriam ser os primeiros, atendendo às suas funções, ao cansaço diário e à falta de rendição de algumas equipas. Também estamos exaustos! E a “rebentar pelas costuras”, para atender ao transporte de doentes e a todas as situações de emergência. Olhem para os hospitais em situação limite, não tarda podem ser os bombeiros!”, lê-se na nota.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos, 2.022.740 mortos resultantes de mais de 94,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.861 pessoas dos 549.801 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.