As autoridades sanitárias espanholas também contabilizaram mais 235 mortes desde quinta-feira atribuídas à covid-19, passando o total de óbitos para 53.314.

O nível de incidência acumulada (pessoas contagiadas) em Espanha continua a aumentar, passando de quinta para sexta-feira de 523 para 575 casos diagnosticados por 100.000 habitantes nos 14 dias anteriores.

As regiões com os níveis mais elevados são as da Extremadura (1.221), Múrcia (889), Castela-Mancha (780), Comunidade Valenciana (760), La Rioja (739) e Madrid (699).

Nas últimas 24 horas, deram entrada nos hospitais 2.816 pessoas com a doença, das quais 526 na Comunidade Valenciana, 496 na Catalunha, 427 em Madrid e 402 na Andaluzia.

Em todo o país há 19.657 pessoas hospitalizadas com a covid-19, o que corresponde a 16% das camas, das quais 2.953 pacientes em unidades de cuidados intensivos, 30% das camas desse serviço.

A saúde é um setor que está descentralizado em Espanha e o aumento da taxa de contágio levou praticamente todas as comunidades autónomas a anunciar nas últimas horas novas medidas de luta contra a pandemia de covid-19.

Várias regiões pediram mesmo ao Governo central que estude a possibilidade de voltar a impor o confinamento domiciliário.

A maior parte dos dirigentes nacionais e regionais têm apelado à população para ficar em casa e só sair se for mesmo necessário.

A região de Madrid, por exemplo, anunciou hoje que, a partir da próxima segunda-feira, vai endurecer as medidas de luta contra a covid-19, antecipando para as 23:00 o recolher obrigatório e pedindo que só entrem em casa as pessoas do agregado familiar.

Na comunidade autónoma em que se encontra a capital espanhola, o recolher obrigatório será assim antecipado das 24:00 para as 23:00 horas e a hora de encerramento do setor da restauração e similares é antecipada para as 22.00.

As medidas, que afetam esta região espanhola, vão estar em vigor, pelo menos, durante 14 dias.

Além disso, a região de Madrid decidiu alargar o cordão sanitário a mais seis zonas básicas de saúde e cinco localidades, que juntamente com as já em vigor – 41 zonas e 14 localidades – perfazem um total de 47 zonas básicas e 19 municípios.

Nestas áreas vivem mais de 1.367.000 habitantes, 20% da população da capital, e são responsáveis por 25% dos casos de infeção por covid-19 na região.

A progressão da pandemia também levou o Governo e partidos regionais catalães a chegarem hoje a acordo para adiar para 30 de maio próximo as eleições nesta região espanhola.

A consulta eleitoral tinha sido inicialmente marcadas para 14 de fevereiro, devido à inabilitação, decretada pelo poder judicial em setembro passado, do último presidente regional, o independentista Quim Torra, condenado por se ter recusado a retirar uma faixa com conteúdo separatista da fachada da sede do governo regional durante a campanha para as eleições parlamentares nacionais de abril de 2019.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.