“Graças ao trabalho de todos os profissionais ligados a este setor, o abastecimento alimentar está a decorrer com normalidade, não registando constrangimentos na cadeia, desde a produção à distribuição, nem ao nível dos preços praticados”, sublinhou, em comunicado, o ministério liderado por Maria do Céu Albuquerque.

A tutela garantiu que está em “estreita ligação” com todos os intervenientes do setor, “a fim de serem detetados quaisquer constrangimentos em toda a cadeia de abastecimento”, assim como na identificação do fluxo de matérias-primas e dos fatores de produção.

“Apela-se à consciência cívica que o momento exige, nomeadamente no que se refere a um consumo responsável e criterioso, tendo em conta as necessidades de cada um e, claro está, de todos que nos rodeiam”, vincou o executivo.

Por outro lado, o Ministério da Agricultura reforçou a necessidade de confirmação prévia da informação que chega aos consumidores, devido à disseminação de mensagens falsas sobre a doença.

“Referimos, como exemplo, a informação que circula sobre o risco de transmissão de Covid-19 por ingestão de vegetais crus. A este respeito clarifica-se que a transmissão do novo coronavírus ocorre por via respiratória e conjuntival, mediante contacto entre as pessoas”, sublinhou.

O Governo lembrou também que, até ao momento, “não há evidências” de que os animais de companhia possam transmitir a doença.

Na semana passada, o Ministério da Agricultura já tinha anunciado um pacote de medidas de ajuda ao setor, onde se incluem apoios à tesouraria e à manutenção de postos de trabalho.

“O Ministério da Agricultura corrobora o seu agradecimento a todas e todos aqueles que, todos os dias, mesmo perante as dúvidas e o medo, nos fazem acreditar que, graças à solidariedade, à união e à força, venceremos mais esta batalha”, concluiu.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 180 mil pessoas, das quais mais de 7.000 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

Dos casos confirmados, 242 estão a recuperar em casa e 206 estão internados, 17 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinala 4.030 casos suspeitos até hoje, dos quais 323 aguardavam resultado laboratorial.

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.