O “Plano 21 | 23 Escola +” foi aprovado pelo Conselho de Ministros há duas semanas e apresentado pelo ministro da Educação no Dia Mundial da Criança, em 01 de junho, mas a tutela ainda vai ouvir mais intervenientes antes da aprovação final do documento.

Tiago Brandão Rodrigues, que participa no debate parlamentar sobre a preparação do próximo ano letivo requerido pelo PCP, precisou que essas novas auscultações vão decorrer até à próxima semana.

“Depois da aprovação na generalidade, estaríamos hoje, e não estamos porque estamos aqui com os senhores deputados, a ouvir todos os diretores de agrupamentos e escolas não agrupadas”, disse o ministro em resposta aos deputados.

Além dos diretores escolares, a tutela vai também ouvir os dois órgãos consultivos: o Conselho Nacional de Educação e o Conselho das Escolas.

“Entre esta e a próxima semana vamos poder ouvir todos esses representantes para ter a aprovação final deste plano”, explicou o ministro.

Respondendo a algumas das críticas e dúvidas levantadas pelos deputados dos diferentes partidos, Tiago Brandão Rodrigues considerou que aquilo que já é conhecido do plano de recuperação das aprendizagens não é um conjunto de generalidades, como classificou o PCP, mas objetivos e metas concretas.

Por outro lado, esclareceu que a verba anunciada de 900 milhões de euros para reforçar os recursos humanos das escolas, renovar equipamentos e infraestruturas, e apostar na formação dos docentes e não docentes, representa um novo investimento “para o futuro”, sublinhou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.